sábado, 25 de setembro de 2010

Aula de Idiomas número 2

Oi pessoal,
hoje vim trazer pra vocês a nossa segunda aula virtual de idiomas.. hehehe
Hoje eu quero falar de algumas coisas que eu tenho aprendido por aqui com relação às peculiaridades do espanhol com relação ao inglês e ao português.

O interessante de estar em um país estrangeiro, ensinando uma lingua que não é nem a sua nem a do próprio país é justamente o fato de que se aprende muito sobre e uma das coisas que mais aprendo é a fonética. Além disso eu, que não tenho o melhor dos espanhóis, todo dia aprendo algo novo em espanhol, por exemplo. Estou dando uma aula e aparece uma palavra que o aluno não conhece em inglês e me pergunta, o que significa isso em espanhol. Eu também não sei como fala em espanhol, aí o que fazer? O jeito é apelar, pro desenho, pra mímica, tenta explicar em inglês o que é, tenta explicar em espanhol, até arriscar um portunhol as vezes é valido, porque as vezes as palavras são as mesmas. Em último caso digo pro aluno, "tá quando fores fazer o exercicio na outra sala eu pergunto de outro professor e te digo".

Mas e quais são as diferenças e peculiaridades mais interessantes desses três idiomas?
Ok vou listar algumas:


  • O som da letra h. Em português o "h" é mudo ou seja palavras como hiato, falamos iato, simplesmente não se pronuncia a letra h de nenhuma maneira. No inglês, muitas palavras tem o som de R, o mesmo que fazemos quando falamos a palavra rato. Quando eu ensinava inglês no Brasil dizia ao alunos: "Head, o h tem som de R". Aqui o som mais parecido que eles tem é o J, então preciso dizer pra eles head, "el H(ache) tiene el sonido del J(jota)". As vezes o G(em espanhol) tem o mesmo som do R(em português), mas como não é sempre, temos que falar isso(acima).
  • Em espanhol não existem os sons V e Z, o que muitas vezes dificulta a pronuncia dos falantes do espanhol, ou castellano como alguns mais nacionalistas preferem falar. Eles precisam aprender esses sons para falar o ingles, o z é fácil é só dizer pra eles que o som da abelha e eles rapido aprendem, mas o V... sem comentários.
  • As palavras que tem y e uma vogal como "ya", se fala quase como um j falado pelos brasileiros o que faz com que eles falem palavras dessa forma como young como se fosse "jong". Tem sempre que mostrar que se pronuncia cada uma das letras separadamente.
Ok tem gente que vai dizer que estava esperando que esse post fossem palavras novas do coloquial venezuelano, é.. eu já juntei várias delas, mas vai ficar pra um próximo post.. hehehe
=)
até mais
Daniel Thomás

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Colaborador Habitual do blog "Brasil com Z"

Hola chamos y chamas, como están?
Eu hoje estou muito feliz.
http://brasilcomz.wordpress.com/Desde que comecei a procurar lugares pra fazer intercâmbio descobri um blog muito bacana. Onde vários brasileiros que vivem em várias partes do mundo escrevem sobre seu país, sua cidade, a cultura e as experiências que tiveram. O site é o BRASIL COM Z 
E eu cheguei a mandar e-mail pra ver se conseguia escrever como colaborador e quando foi esse fim de semana a Glenda, administradora do site me enviou um e-mail dizendo que tinha gostado do meu blog e que eu estava convidado a participar como colaborador habitual do blog. Ela me pediu ainda que mandasse um banner do meu blog pra colocar na barra lateral do blog. Ai eu pensei, putz eu não tenho banner, nem um layout específico do blog eu não tenho (é um dos modelos prontos do blogger, não sei fazer nada com html ou coisa parecida).
Ai eu lembrei dos meus queridos amigos da AIESEC Manaus. Gente, vocês não tem noção quanta gente cheia de talento tem no meu comitê local.
Eu mandei um e-mail perguntando quem poderia me ajudar e de pronto o Rodrigo Oliveira, vulgo "Gaga" (uauhauhah) me ajudou e criou esse banner, que está do tamanho que foi pedido pela Glenda.
Ele ficou simples e bonito, passando a mensagem que o nome do blog pretende passar com o nome dele:

Muito Obrigado Rodrigo!!!
Hoje saiu o meu primeiro post, que é uma espécie de apresentação, onde eu falo como foi todo o processo até chegar aqui.
Espero que vocês continuem me acompanhando por aqui, mas também possam me acompanhar junto com outros braZileiros por la também

Dale Pues
Abrazos
Daniel Thomás

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Tranporte

Pessoal, to aqui pra falar pra vocês sobre algo que é bem precário na Venezuela, que é o transporte.


Aqui a pessoa pode passar até 8 anos pagando um carro, pelo que me foi dito, mas realmente é a melhor coisa que um Venezuelano pode fazer.

Primeiro porque gasolina chega a ser mais barato que água. Hun? Sim mais barato que água. Aqui com 5 bolivares se enche um tanque de gasolina, e uma garrafa de água de 600ml pode custar até 6 bolívares. Eu e Sara(finlandesa, intercambista pela AIESEC também) sempre conversamos que essa é a lógica da falta de lógica já que água potável todo mundo precisa, já gasolina são somente as pessoas que tem carro.

Segundo motivo pelo qual é importante ter um carro aqui é o transporte público. Aqui o transporte público é feito em buscetas velhas (não me entendam mal, busceta é um ônibus pequeno... ahuhauhuaa) que eles chamam de ruta(traduza-se como rota, se quiser). O preço custa 2 bolívares de segunda a sexta e nos sábados domingos e feriados custa 2,30 bolivares. Agora mais uma coisa ilógica, já que a gasolina é tão barata e os ônibus são velhos e pelo que me parece sem manutenção nenhuma, por que a passagem é tão cara?

Outro detalhe muito importante é: elas funcionam somente até 8 da noite. Quando eu tava morando mais longe o que acontecia era que eu saia as 8 do trabalho e não tinha mais ruta e eu tinha que caminhar cerca de 25 a 30 minutos pra chegar em casa.

E como funciona pra usar o transporte público?

A pessoa entra pela frente paga para o motorista diretamente na hora que sobe ou na hora que desce e depois sai pela frente. Pra mim eles não tem muito controle não. Por que eu digo isso? Porque logo que eu cheguei aqui eu pagava na hora de descer, ai teve um dia que eu pensando na vida distraído, simplesmente sai do ônibus, depois que eu sai que eu me toquei que tava com o dinheiro na mão e não tinha pago, ai eu voltei e paguei o cara dizendo que tinha esquecido. Ele fez uma cara de quem não tinha nem percebido. Depois disso comecei a pagar logo que entrava no ônibus.

Ahhh, uma coisa importante é que aqui os ônibus não têm cordinha pra puxar na hora de descer, a pessoa pode tá lá atrás, mas ela só levanta na hora que para onde ela quer. E como o motorista sabe que a pessoa quer descer ali. Simples a pessoa tá lá atrás e grita “Deja-me en la parada, por favor” ou “en la parada por favor”, aliás aqui eles tem paradas como essa da foto abaixo, mas elas ficam nas avenidas principais, nas ruas menores não tem, então a pessoa grita “dejame por acá por favor” ou “en la esquina por favor” aí o ônibus para em qualquer lugar.

Outra forma de transporte é taxi, e depois das 8, devido não ter mais ônibus, a rua se enche deles. Só que a maioria dos táxis são também carros feios e velho, e o pior, não têm taxímetro. Então a melhor maneira é perguntar quanto vai dar de um lugar ao outro antes de entrar, porque aqui os taxistas são parecidos com os brasileiros gostam de puxar um assunto besta, e logo eles percebem que és estrangeiro e se não tiver perguntado antes quanto dá ele vai querer meter a mão no teu bolso por ser estrangeiro e vai cobrar bem mais.

Eu não sei se isso é uma realidade da Venezuela inteira, mas eu acredito(e espero) que não.

Em breve mais informações sobre Barquisimeto na Venezuela.

Abraços

Daniel Thomás

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Aula de Idiomas número 1

Viver num país diferente do seu, te faz aprender muito da lingua local. Ensinar uma terceira lingua nesse pais te faz aprender mais ainda. De forma que vou começar a dar algumas aulas de idiomas pra vocês.
Hoje nossa aula tem como tema: "Expressões coloquiais". Segundo uma reportagem do site planeta educação estas expressões são mutáveis, ou seja, se adaptam às mudanças sociais de um determinado grupo, pois carregam não somente fatores lingüísticos, mas também aspectos culturais.

Por mais que a maior parte da américa latina e a espanha falem o mesmo idioma, eles tem muitas diferenças que podem ir desde o sotaque ao uso de expressões linguisticas que tem sentidos totalmente diferentes, ou em alguns casos, nenhum sentido em outro país.

Na Venezuela se utiliza muitas expressões coloquiais, por isso quando você vier aqui fazer uma visita pra mim não basta somente saber falar espanhol, é preciso falar espanhol da venezuela. O que as vezes pode ser um pouco mais complicado, hoje vou deixar algumas das palavras já aprendidas:

  • Pana – é uma pessoa bacana. Quando os gringos(Entenda-se gringo por norte americano, no Brasil gringo é estrangeiro, aqui é americano) chegaram aqui e começaram a chamar de partner as pessoas bacanas, eles entendiam Pana, e assim ficou.
  • Chamo(a) – Rapaz (Moça). Variação é chamito para criança.
  • Naguará - eu traduzo como Porra, porque as pessoas podem dizer tanto para algo bom quanto para algo ruim como “Porra essa televisão é muito boa” ou “Porra porque deixaste esta merda no meio do caminho?” Mas a verdade é que não tem tradução e é usado para exagerar algo seja bom ou negativo
  • EPA – é quase como um eeeei, quando a pessoa diz EPA é porque ele quer falar contigo, ai deves te virar e responder. Uma Variação é dizer EPA Lê, isso é o que dizem, nunca vi ninguém usando essa variação.
  • Regañar – Dar bronca, também pode ser traduzido como dar uma mijada, no sentido de levar bronca.
  • Coño – coño é o orgão sexual feminino, eu diria, pensa em um onibus pequeno, agora traduz pro espanhol, isso que é coño, mas eles usam mesmo quando vão falar pra alguém sobre uma coisa que é ruim, ou muito boa. Coño, como estava sabrosa esa arepa.
Em breve venho com mais aula de idiomas, que em breve se expandirão do espanhol para o aprender ingles tendo o espanhol como lingua pátria
Espero que tenham curtido a aula.
abraços
Daniel Thomás

domingo, 12 de setembro de 2010

Cozinhando e comendo...

Hola chamos y chamas, como están?

Gente, hoje eu vim falar pra vocês de mais uma coisa que comecei a fazer agora: Cozinhar
Pois é, nos 10 primeiros dias eu só comi na rua, o que me causou um grande rombo nas minhas finanças, além de já estar enjoando de comer empanadas e pasteles horneados, que era o que eu mais comia.
Logo depois que me mudei fiz compras no supermercado e comprei várias coisas, macarrão, queijo, presunto, salsicha, tempero, seleta, quase dois quilos de picadinho (carne moída para os não manauaras) entre outros.
Como picadinho é uma coisa fácil e rápida de fazer resolvi comprar quase dois quilos o que me durou quase 10 dias. Eu fazia uma parte pra durar pelo menos uns 3 dias. Pra não ficar todo dia tendo que cozinhar.
Pow, mas comer picadinho todo dia não enjoa?
De verdade, não, mas a criatividade é a alma do negocio, como fazer pra não ser todo dia a mesma coisa?

um dia faço picadinho e macarrão(não tirei foto)
no dia seguinte faço ovo com picadinho e macarrão de novo(também não tirei foto)

Ai o picadinho durou dois dias e o macarrão durou 3. o que fazer?
compra salsicha, cozinha e faz macarrão com salsicha. Que tal colocar creme de leite pra ficar mais gostoso? De jeito nenhum? sabe quanto custa uma lata de creme de leite aqui? dessas comuns que a gente usa ai no Brasil? 22 bolívares, enquanto uma lata de leite em pó de um quilo custa 17 bolivares. não tem condição, o que fazer então? compra requeijão, é mais barato, fica mais gostoso o resultado e depois ainda pode comer o que sobrar com pao no café da manhã.




No dia seguinte, picadinho de novo só que agora com arroz e banana. Ficou faltando só uma farofinha.. heheheh
Além de adorar comer picadinho com banana, nesse dia acordei com uma cãimbra terrivel na batata da perna. Então potássio nela, pra não ter mais cãimbra.

Dois dias depois ainda tem um pouco de picadinho e arroz. Frito um ovo e misturo junto com o arroz e o picadinho e aproveito pra cozinhar umas batatas... huuumm!!! ainda coloco uma manteiguinha em cima da batata que derrete toda e fica ainda mais gostoso.





E depois volto ao macarrão com picadinho... uhahuauhauh





Aguarde em breve nas melhores livrarias e açougues da sua cidade, como (sobre)viver com picadinho...
Mas o picadinho acabou, fui ao supermercado e...
comprei carne para guizado... aeeewww uns dias sem picadinho
Eu ia fazer uma torta de batata mas acabei descobrindo que o forno não funciona. E ai o que fazer com a batata cozida e o ovo misturado?

mistura tudo e frita.. óoo ficou uma deliiicia.. =)
proximo post: Aula Virtual de Idiomas - número 1
abraços
Daniel Thomás

sábado, 11 de setembro de 2010

Meu quarto - Campanha, deixe um comentário

Oi Pessoal,
tudo bem?
Aqui em Barquisimeto na Venezuela, está tudo tranquilo.
como vocês devem saber eu mudei de casa, agora estou morando em um apartamento que fica quase ao lado do trabalho, só preciso atravessar a rua e virar a esquina e já cheguei. Com isso vou economizar em media quase 200 bolivares por mes com Ruta (como eles chamam os onibus aqui).
Eu ia tirar foto do quarto na casa que eu tava vivendo, pra depois vocês compararem com o novo, mas acabei esquecendo de fazê-lo antes de me mudar.

O quarto que estou agora é um pouco maior e tem ate uma especie de guarda roupa, com prateleiras e um cabide pra penderar camisas e outras coisas. Consigo até usar internet sem precisar fica na sala como na outra casa.. heheheh.
Demorei pra postar, mas é que o quarto tava bagunçado e hoje eu resolvi arrumar e limpar, além de ter lavado roupa e feito comida pra pelo menos uns 3 dias.

Aqui o guarda roupa, na primeira prateleira tem produtos de limpeza e de higiene pessoal, junto com meus perfumes, na segunda prateleira estão meus livros e papeis de oriami, além de meu cofrinho a ceu aberto.. hehehehe. na 3a prateleira é o espaço das roupas passadas... uhahuauhah
o que quer dizer que tenho um monte de roupa pra passar logo na prateleira abaixo, mas eu só passo quando vou usar e isso quando vou sair neh? pra ficar em casa não precisa passar... hahahaha
Além disso minhas bandeiras do Brasil e da Venezuela penduradas.


A cama vista de dois angulos, uma da pra ver meus origamis na prateleirinha ao lado e a outra da pra ver a janela e o ventilador.

Ahh, além de falar do meu quarto eu tenho uma outra coisa pra falar pra vocês, eu tenho várias coisas quase prontas pra postar pra vcs, mas estou começando uma campanha para incentivar vocês a deixarem comentários.

Uma vez passando em um blog, a dona dizia assim, que "entrar em um blog e não comentar é a mesma coisa que entrar na casa de alguém e não falar com o dono" o que configura uma falta de educação terrível vocês não acham? Mas como eu sei que tem gente que entrou e não comentou.
Simples, na barra do lado direito do blog tem um contador que coloquei a poucos dias, ou seja eu posso saber quantas pessoas visitaram o blog, assim quando eu entro eu sei quantas pessoas visitaram o blog desde a ultima vez.

Vamos lá pessoal, comentem, deixem sua opinião sobre o fato descrito, ocorrido e/ou narrado.
abraços
Daniel Thomás

domingo, 5 de setembro de 2010

Presentes @Barquisimeto

Oi Pessoal,
ontem teve uma festa bem legal aqui na venezuela. Com algumas temáticas.
1. Apresentação da Finlândia com a intercambista Sara
2. Apresentação de Portugal com o intercambista Hugo
3. Welcome party formal pra mim e pra Abby dos EUA.

O tema da festa era charleston, como fui avisado em cima da hora e também não tinha o que inventar, fui normal mesmo.

Lá eu ganhei um kitzinho da @Barquisimeto bem legal.
Recebi das mãos do José David, gente finíssima, foi na casa dele que eu fiquei na primeira semana que estive aqui. Ele já foi LCP, MC e voltou a pouco do seu X na Índia.



O kit é composto de:
1. Sacola (feita pelo LCP Miguel Meléndez, prendado o rapaz)
2. Uma bandeira da Venezuela (essa é a minha depois vou ver se arranjo uma maior pra levar pro CL)
3. Um pacote de Harina Pan - utilizada pra fazer Arepas, vou aprender ai eu faço ai pra vocês ok?
4. Uma lata de maltín, que é cerveja sem álcool, muito comum aqui, o povo bebe como refrigerante
5. Um pacotinho de Cocosette, que é um waffer imenso com sabor côco
6. E alguns panfletos sobre barquisimeto e algumas festas daqui



Muito legal, digo, muy chevere. Muchas gracias @Barquisimeto.
Em breve coloco as fotos da festa pra vocês

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Na Venezuela: Casou, Morreu

Era pra ter postado isso sábado, acabei esquecendo, mas tá valendo:

"Kkkk, vocês não tem noção de quanto eu ri sozinho hoje no meio da rua. Assim que desci do ônibus, eu vi um carro passando, todo enfeitado e dentro estavam os mortos, opz os noivos, de um casamento, creio que tivessem acabado de casar na igreja e estavam indo pra recepção. Quando olhei atrás do carro, um monte de outros carros todos com o pisca alerta ligado, como se fora um cortejo fúnebre. Eu quase morro de rir, hahahaha to começando a gostar da Venezuela, eles pensam o mesmo que eu: Casou, Morreu..."